Noite dos Museus em Porto Alegre -Programação Digital

Noite dos Museus em Porto Alegre terá transmissão gratuita com mais de seis horas de duração

Entretenimento Evento Digital Gratuito Eventos OnLine Programação Digital Programação OnLine
Noite dos Museus em Porto Alegre -Programação Digital
Noite dos Museus em Porto Alegre -Programação Digital

Programação Digital : Eventos Online

Noite dos Museus em Porto Alegre terá transmissão gratuita com mais de seis horas de duração

Com a intenção de mobilizar sem aglomerar, o Noite dos Museus será transmitido ao vivo, homenageando 16 museus gaúchos e com pocket shows de nomes como Fernanda Takai, Humberto Gessinger, Luciano Leães e Solon Fishbone, Gabriela Lery, Pâmela Amaro e João Maldonado

Realizado pela primeira vez em formato virtual, o Noite dos Museus acontecerá no sábado, dia 5 de dezembro de 2020, em transmissão gratuita com mais de seis horas de duração. Diante da pandemia, o evento que em 2019 reuniu mais de 100 mil pessoas nas ruas e nos espaços culturais de Porto Alegre quer mobilizar sem aglomerar, levando arte para dentro das casas, através de um especial ao vivo que terá mais de 20 apresentações artísticas e homenageará 16 museus de Porto Alegre com conteúdos originais sobre a história e o acervo desses locais. A maratona cultural poderá ser acompanhada a partir das 18h pelo site www.noitedosmuseus.com.br/2020, o canal do YouTube e as redes sociais do projeto.

Noite dos Museus
Apesar de ser realizado no ambiente digital, o projeto manterá a tradição de espalhar arte pela cidade. Os centros culturais participantes desta edição estarão fechados para visitação durante o evento, mas receberão a iluminação temática que já é característica do Noite dos Museus. São eles a Casa de Cultura Mario Quintana, o Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, o Centro Histórico-Cultural Santa Casa, a Cinemateca Capitólio, o Farol Santander, o Goethe-Institut, o Memorial do Rio Grande do Sul, o Museu da Brigada Militar, o Museu da Comunicação Hipólito José da Costa, o Museu da UFRGS, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul, o Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, o Museu Júlio de Castilhos, o Planetário Professor José Baptista Pereira, a Pinacoteca Aldo Locatelli e a Pinacoteca Ruben Berta.

Artistas confirmados

A programação reúne nomes da cena cultural nacional e gaúcha, com pocket shows que vão do rock ao samba, além de performances especiais de dança. Os espetáculos serão transmitidos de diferentes pontos: das casas dos músicos, das salas de exposições dos museus participantes e também de um estúdio na Fábrica do Futuro, em Porto Alegre, montado especialmente para a noite.

Entre as atrações estão a cantora, compositora e multi-instrumentista Fernanda Takai, vocalista da banda Pato Fu; o músico Humberto Gessinger, com repertório autoral que reúne desde as composições mais recentes até os sucessos dos tempos em que liderou a banda Engenheiros do Hawaii; o pianista Luciano Leães e o guitarrista Solon Fishbone apresentando o melhor do blues; o rock alternativo da banda Fantomaticos, o samba e a música popular brasileira da dupla 50 Tons de Pretas, assim como o trabalho das cantautoras Ariele, Gabriela Lery, Rita Zart e Pâmela Amaro.

A grande noite também contará com improvisações e shows de alguns dos principais nomes da cena instrumental do Rio Grande do Sul, como Cristian Sperandir Trio, o duo composto pelo bandonilista Elias Barboza e o acordeonista Matheus Kleber, além da união entre o violinista, compositor e humorista Hique Gomez com o instrumentista Tales Melati. O público também poderá conferir os grooves dançantes e envolventes do Muralha Trio, o surf rock instrumental com trilhas sonoras de filmes interpretadas pelo Reverba Trio, um concerto com a Orquestra de Câmara da Ulbra, uma apresentação do pianista João Maldonado e uma participação do grupo Violas ao Sul, formado pelos violeiros Angelo Primon, Mário Tressoldi, Oly Jr. e Valdir Verona.

O evento ainda reserva espaço para o fado e a música portuguesa do grupo Alma Lusitana, para a mistura de folk, country, rock e bluegrass dos guris do Cartas na Rua e para a energia da ancestralidade negra do Grupo de Música e Dança Afro-Sul. Haverá também uma intervenção sonora inédita, que poderá ser acompanhada com audiodescrição, feita pelo músico Carlos Ferreira sob um trecho do filme Um é pouco, dois é bom, de Odilon Lopez, primeiro longa-metragem brasileiro a ser assinado por um diretor negro, que está completando 50 anos do seu lançamento em 2020. Já a dança estará representada pelo tango do grupo 8 Adelante e pelo concerto cênico Carmen e Os Violões, com a camerata Violões de Porto e a bailarina Ana Medeiros apresentando uma parte do espetáculo inspirado na ópera Carmen, de Bizet, e na biografia de Carmen Miranda.