Ospa - Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - Foto Mariana Moraes

OSPA Live celebra os 75 anos da Aliança Francesa Porto Alegre

Entretenimento Evento Digital Gratuito Eventos OnLine Live Gratuita Música Programação Digital Programação OnLine
Ospa - Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - Foto Mariana Moraes
Ospa – Orquestra Sinfônica de Porto Alegre – Foto Mariana Moraes

Programação Digital : Evento Online Gratuito

OSPA Live celebra os 75 anos da Aliança Francesa Porto Alegre

Programa da 32ª edição do projeto contempla obras de compositores franceses do século XIX, destacando repertório francês com orquestra em edição comemorativa

No sábado, 5 de dezembro, às 17h, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA) homenageia os 75 anos da Aliança Francesa Porto Alegre em uma apresentação especial, pela 32ª edição do OSPA Live. Sob regência do maestro Evandro Matté, os músicos sobem ao palco com Concertino para trombone e orquestra de cordas, de Fernando Deddos, Fantasie para Flauta e Orquestra de Câmara, de Gabriel Fauré, Morceau de Concours, de Gabriel Faurée Divertissement, de Jacques Ibert. O solo fica por conta de José Milton Vieira, trombonista da Sinfônica. O espetáculo será transmitido ao vivo pelo YouTube e pelo Facebook da AFPOA, pelo YouTube da Orquestra e pela plataforma #CulturaemCasa, diretamente da Casa da OSPA. 

Repertório

Dedicada ao músico da OSPA José Milton Vieira, Concertino para trombone e orquestra de cordas busca resgatar o nacionalismo, escasso no naipe de metais. A obra, inspirada no modernismo do século XX, dirige-se à antropofagia, expressando sentimentos genuínos, como a saudades da vida infância, dos bailes, das cores internacional de metais em gêneros típicos da música de concerto. A peça é, sobretudo, desenvolvida pela utilização de pequenos motivos, de micro para macro.

Fantasie para Flauta e Orquestra de Câmara e Morceau de Concours foram escritas para a competição anual de flauta do Conservatório de Paris, no século XIX. A primeira, especialmente, foi encomendada por Paul Taffanel. Ambas tinham como propósito compreender a excelência dos competidores quanto ao fraseado, expressão, controle de tom e virtuosismo.

Inserida na produção da música incidental, Divertissement foi composta em 1920, no período em que grandes obras foram elaboradas como apoio a peças de teatro e balé. A composição tem como base a farsa O Chapéu de Palha Italiano, de Eugêne Labiche, que narra um contratempo no dia do casamento do protagonista.